quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Mixte de hoje: Exemplo e Superação

Cmte. Babau
 Voo de recheque

Como prometido, conto hj a história do primeiro piloto de helicóptero a voar com uma prótese substituindo o braço direito. Conheça Carlos Santoro, mais conhecido como cmte. Babau (nome dado ao bicho papão no nordeste). O menino bagunceiro nascido em Fortaleza deixou muitas histórias engraçadas pra contar por lá. Ele sempre aprontou muito, e numa dessas, recordo-me de uma das mais engraçadas. Certa vez brincando de correr em cima do muro em pleno dia de chuva ele caiu e quebrou os dois braços. Foi aquela correria...leva pro hospital, engessa... Resultado: ele teria que ficar uma semana sem ir na aula. 
A mãe era filhinho pra lá, filhinho pra cá, toda atenciosa e preocupada. Com os afazeres domésticos ela se distraiu, e cadê o Babau? Acreditem, ela se deparou com uma cena inusitada. O moleque tava andando de bicicleta...rsrsrs Consegue imaginar? Aí não teve mais desculpas, se pode andar de bicicleta, tb pode ir na aula, daí acabaram as férias e ele virou assunto no colégio! Depois de alguns anos aprontando todas no Ceará, era a vez de Goiânia conhecer o Babau. Em 2002 ele se mudou com a família para a capital de Goiás. Não demorou nada para que Babau ficasse conhecido pelo seu jeito descontraído e gozador. Mas paralelo a isso, ele tb demostrava ser um garoto esforçado e trabalhador. Qndo conseguiu o primeiro emprego tratou logo de comprar uma Garelli, uma mini moto bem barulhenta. A coitada tava tão velha q toda semana tinha alguma coisa pra consertar...mas era uma piada, qndo o Babau tava na quadra de cima, todo mundo já sabia que ele tava chegando. 
O tempo passou e com a maioridade vieram as responsabilidades. Babau começou a estudar com 18 anos o PPH ( curso teórico de piloto privado pra helicóptero ), aos 20 ele começou a voar profissionalmente e desde então é referência na aviação de Goiânia. Eu me arriscaria a dizer q ele faz parte de um pequeno e seleto grupo q alavancou esse tipo de aviação em Goiás. Trabalhou no Estado do Pará onde consolidou a vida profissional e fez muitos amigos. Aos 23 anos voltou para Goiás em busca de novas carteiras. Após realizar o PC ( curso teórico para piloto comercial) e se preparar para a prova da ANAC, aconteceu o inesperado.
No dia 1° de Maio de 2010, Babau sofreu um grave acidente de carro. A fratura exposta rompeu ligamentos importantes impossibilitando uma cirurgia reparadora, por isso ele teve parte do braço direito amputado. Desde o princípio ele surpreendeu a todos com sua humildade e desejo de superação. As primeiras palavras após a cirurgia foram: "Dra. você pode dizer aos meus familiares que eu estou bem? Diga a eles também que isso aqui (olhando para o braço amputado) não vai me tirar da aviação. Se ainda não existe, eu serei o primeiro piloto de helicóptero a voar com prótese", em conversa com psicóloga do HUGO – Hospital de Urgências de Goiânia.
Apesar do otimismo, naquele instante ele nem podia imaginar a proporção do seu desejo. Ele nem sequer pensava que mudaria a história da sua própria vida, muito menos a história da profissão que escolhera. Mas para alcançar esse objetivo não foi tão fácil quanto parece, nem tão difícil quanto alguns gostariam. Não foi tão fácil porque o período de recuperação física foi demasiadamente doloroso. Não foi tão difícil porque apenas uma minoria insistia em desacreditar na sua volta à profissão.
Contudo, o fato de não ter sido consumido por desesperança, revolta ou qualquer outro sentimento de incapacidade, acelerou o processo de regeneração do membro amputado, fazendo valer como nunca velhos e conhecidos ditados: “sua mente, seu guia”; “mente sã, corpo são”. Sua paciência e perseverança rendiam avanços incríveis ao seu corpo, a cicatrização foi rápida comparada a outros casos, logo ele deu início à segunda fase do tratamento.
Iniciou as sessões de fisioterapia e terapia ocupacional no CRER e lá conheceu a equipe da Oficina e Loja Ortopédica da instituição. Foi quando recebeu a notícia de que o SUS forneceria uma prótese para que ele pudesse retomar as atividades diárias mais simples, tais como: abrir a geladeira; manusear talheres, copos; escrever; abotoar a camisa e etc. Mais que depressa Carlos sugeriu: “Eu agradeço a atenção, mas seria possível desenvolver uma prótese que me reabilitasse a voar?”. A resposta não poderia ter sido mais animadora, pois eles disseram que fariam quantas próteses fossem precisas para encontrar o modelo ideal. Desafio lançado!
Carlos voltou para casa esperançoso com o que era até o momento, a possibilidade mais real de voltar a voar. Naquele dia ele não dormiu pensando em algo que pudesse pelo menos esboçar um projeto. Sua vontade era tanta que teve uma ideia de como poderiam iniciar essa empreitada. Voltando ao CRER ele dividiu com a equipe o que houvera pensado. Tendo uma teoria em mente, os engenheiros da oficina tiraram as medidas tanto do braço, quanto do helicóptero e partiram para a prática.
O teste do primeiro modelo aconteceu aos exatos quatro meses após o acidente, no dia 01 de Setembro de 2010. Ainda não era a prótese ideal. Mas cumprindo à promessa, a equipe do CRER materializou não apenas mais um, e sim mais outros três projetos até chegar ao protótipo. Foi com ele que em quatro  de dezembro de 2011 o cmte. Carlos Santoro realizou o recheque e renovou o seu brevê de piloto privado, se tornando o primeiro piloto de helicóptero do Brasil a voar com uma prótese substituindo o braço direito. Agora ele se prepara para retomar os estudos almejando outras carteiras e novas oportunidades. Além de ser um exemplo de superação, sua história alimenta a esperança de outros profissionais que viveram perdas semelhantes.






20 comentários:

  1. Concerteza é uma historia de superação e amor a profissão. Parabéns
    Rafael Sanches

    ResponderExcluir
  2. Achei o teu blog por acaso, mas curti muito. Essa história então, muito boa msm. Boa sorte pra ele.
    Camila Monteiro - Rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja sempre muito bem vinda! Obrigada pela visita!

      Excluir
  3. Patiii, arrasou no texto! Parabéns!! Parabéns ao Babau, pelo exemplo e superação! Bjos..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Q bom q vc gostou! Obrigada por estar sempre por aki!

      Excluir
  4. Oi querida.... lindos: seu texto e o Babau....
    Quero a revista que saiu a reportagem dele também... Voce arruma pra mim.... Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada tia! Em breve vcs receberão os exemplares. Muitas saudades de todos...bjuxxx

      Excluir
  5. Pati! Ficou ótimo seu texto!! Parabéns! Sábias palavras pra descrever a pessoa maravilhosa e guerreira que ele é. Beijos e sucesso para o blog!

    ResponderExcluir
  6. Obrigada Yasmini! Foi difícil economizar as palavras pra não me tornar cansativa, mas acho q deu pra resumir aquilo q eu queria destacar, pelo menos a principio. Bjuxxx e t+

    ResponderExcluir
  7. Poxa, que legal essa historia..rs..quem q é esse menino custoso ai..rsrs.. e esse texto então, que bem escrito.. :) PARABÉNS Patricia pelo texto e pela iniciativa do blog, muito nos engrandece a opotunidade de poder estar sempre em contato oom seu modo de fazer jornalismo. Bjo

    Priscilla Andrade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Pri! Vc sempre tão gentil com as palavras. Fico muito feliz q vc esteja gostando. Mil bjux

      Excluir
  8. Ele é lindo e a hostoria dele é mais ainda!ótimo texto!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Adla! Concordo com vc, ele é lindo msm. Muito feliz com a sua presença sempre por aki...bjuxxxx

      Excluir
  9. E eu to gostando do seu blog!acesso todos os dias!beijos!

    ResponderExcluir
  10. Respostas
    1. Obrigada Lu! Estou super feliz com a nossa parceria! Super bju!!!

      Excluir
  11. Danielle Guimarães6 de março de 2012 13:06

    Um grande orgulho pra mim, já falei isso pro Babauzinho e declaro a todos desse blog que esse sim é um grande exemplo de vida, superação, e força de vontade. E falo com propriedade que é o maior guerreiro que eu conheço. Parabéns mais uma vez ao Babau, e a Paty por esse belo trabalho. Bjos

    ResponderExcluir

As palavras depois de ditas não podem ser esquecidas. Seja lembrado sempre pelo respeito e sabedoria!